Wednesday, May 13, 2009

Confesso

Confesso que tive um tesouro
Cofesso, não lhe dei valor
Até perdê-lo no sumidouro
Confesso, quis tê-lo de novo.

Confesso, até versos lhe fiz
Regados a limão e lágrimas
Secando salgadas no rosto.
Confesso senti com ardor

Tudo que fingi no papel.
Arrependida, eu peço
Ao dono do tesouro antigo

A quem ter roubado confesso:
_ Perdão, se ainda penso em ti
Somente para vender versos
.

13 comments:

andre said...

Pois tire o somente da venda dos versos, porque, sendo os seus, o "somente" é motivo muito nobre.

Thiara Pagani said...

"Perdão, se ainda penso em ti
Somente para vender versos"

Que lindo Bia!Você merece todos os tesouros do mundo!

Aline Dias said...

diria sem favor que esse é o melhjor que li aqui.

Crispi. said...

Lindo mesmo!
beijos

Pareta said...

Bia faz versos como quem canta ao acordar num dia ensolarado.

Rafael said...

Belo soneto...
Se der passa no meu blog...
Bjs

Cadinho RoCo said...

Na confissão temos a oportunidade de liberar espaço em nós mesmos para que possamos expô-lo ao que está por surgir.
Cadinho RoCo

Atreyu said...

Não!!! Foi bem real esse!
Não há como esquecer algumas pessoas

Anaa Bia ;) said...

Ah, mas você escreve tão beeem ! Muito lindo esse poema, muito mesmo, o mais lindo *-*

Ê, você sumiu :/ Não suma !

Beeijos ;*

•.¸¸.ஐBruneLLa França said...

Confissão de ternura e de saudade... Doce!

Beijos e borboleteios

Reflexo d'Alma said...

Confesso!
Adorei!
bjins entre sonhos e delírios

Pareta said...

confesso
não confessar outra vez
tudo que disse
como as névoas de ontem
pois tudo que disse
perdeu-se na brisa
dos meus sonhos.

Shelha said...

Tudo bem, eu queria me apaixonar para poder escrever como uma louca passional, mas meu coração está fechado.

Cada um com suas loucuras. Mas não dizem por aí que os poetas podem ser desculpados? se não dizem deviam dizer

bjuss