Wednesday, June 04, 2008

Sinestesia

As cores têm seus sons em cada estação
Os dons seus tons de grave e de bom

Os passos vão na direção do topo
Sem certeza de acertar o próximo degrau

Eu sigo em tua direção de braços bem abertos
Sem pensar se você irá conseguir me segurar

Agora vejo você na minha frente,
Clara e nitidamente

Disposto a me sustentar com as tuas forças
E nada mais, nada mais importa.

8 comments:

HOMEM (IN) COMUM said...

Jogaste a pluma ao vento
Que por contento sustentá-la-ei.

Vivo por cada momento
E feliz por nós tudo farei.

Serei seu eterno aprendiz
Pois, por olhares tudo me diz.

Quer ser minha rainha?
Basta me ter como seu rei.

~pi said...

bem vinda!


[ belo poema...


~

HOMEM (IN) COMUM said...

E por infinito foram teus céus e mares. A contento do amor que se faz presente...

http://www.youtube.com/watch?v=_4kL9holdqw

Rafael Dias said...

"Eu sigo em tua direção de braços bem abertos
Sem pensar se você irá conseguir me segurar"

gostei dessa parte! ^^

darsh. said...

lindo demais
só podia ter sido escrito por você mesmo
;*

Aline Dias said...

biapaixonada

andre said...

Seja lá quem ou o que for que inspira a Bia a escrever esse tipo de coisa, que ela lhe diga: agradecido.
E se for o próprio cérebro da Bia, como de costume, leia aqui, ó: agradecido.

=]

Sr. Parker said...

Variações vibrantes das cores são como acordes de uma sinfonia silenciosa e gritante, todos os elementos sustentam o universo mágico dos versos que flutuam sobre o nada, como a terra.

E bia, continua encantando com seus versos adventos dum sorriso de criança.

Belos poemas